,

Escrito por Angela Mansim

avatar

Qual a importância de monitorar meus resultados?

Não pode haver uma empresa sem um esforço comercial de marketing, publicidade e demais esforços de divulgação e fortalecimento de marca. Mas como controlar os resultados que essas ações trazem?

Ao falar nisso, é impossível não nos ocorrer o cenário do marketing tradicional, que era todo praticado offline, em veículos de mídia como a televisão, o rádio ou mesmo comunicações visuais impressas, como outdoors e panfletos.

Nem é preciso ser especialista na área para identificar que nessa época as métricas eram bastante imprecisas. Não apenas no caso dos panfletos e outdoors, já que poucos são os clientes que mencionam como ficaram sabendo da sua empresa.

Mas também no caso da televisão e do rádio, já que o fato de o aparelho estar ligado não significava que houvesse realmente uma pessoa consumindo aquele conteúdo. Por isso, tudo funcionava na base de meras estimativas.

Quando isso acontece, a margem de previsibilidade também é menor. O que obriga as marcas a “acertarem de primeira”, por assim dizer, razão pela qual só as grandes empresas conseguiam investir nas mídias de massa.

Por outro lado, se você tem como mensurar, se as métricas permitem um monitoramento mais assertivo e que vá além de estimativas, então é possível controlar os resultados de maneira mais eficiente, e projetar cenários futuros.

Aí é que entra a revolução do marketing digital, que permite não apenas trabalhar com indicadores muito mais precisos, como ir além e fazer alguns monitoramentos em tempo real, podendo julgar uma campanha com rapidez bem maior.

Isso permite que qualquer empresa tenha um controle maior de suas campanhas de marketing, podendo customizar o investimento que vai ser feito. Com isso, vem também a redução de gastos desnecessários ou ineficientes.

Por fim, o próprio valor de investimento é customizável, e isso democratiza ainda mais as plataformas online. Lembrando que elas se tornaram, nas últimas décadas, a maior vitrine do mundo.

Então, se você quer compreender como ter o seu filão nesse mercado incrível de oportunidades, por meio de um monitoramento mais eficiente dos seus resultados, é só seguir adiante na leitura.

Afinal, por que monitorar é fundamental?

É preciso aprofundar um ponto sinalizado acima: saber os resultados de uma campanha de marketing com antecedência é fundamental para não perder tempo e dinheiro. Bem como para não comprometer sua marca e comunicação com o público.

Quando uma empresa de treinamento de NR 12 consegue transmitir sua seriedade para o mercado, com campanhas de marketing eficientes, ela demonstra sua idoneidade. Agora imagine uma empresa que não conseguisse fazer isso.

Especialmente no caso de a marca ser diretamente relacionada com um setor que exige mais ética do que o normal, como normas trabalhistas, setores ambientais ou mesmo médicos. Percebe como perder o timing pode ser algo bastante prejudicial?

Além da aceitação de uma campanha, e dos feedbacks que ocorrem de modo quase instantâneo na esfera digital, as métricas permitem ações ainda mais personalizadas, como compreender os passos que um usuário deu na leitura do seu site.

As taxas de permanência na página, de rejeição e de evasão também são indicadores muito claros sobre o sucesso que determinado conteúdo ou campanha de marketing tem desempenhado.

Nas redes sociais isso é ainda mais verdadeiro. Já que ali existem recursos mais explícitos, como curtidas, compartilhamentos e salvamento. Ou seja, mesmo que a pessoa não comente, é possível você detectar a importância e impacto que aquilo teve.

Na prática, tudo isso serve para qualquer segmento, seja um portal de notícias ou uma indústria de injeção plástica. Ao monitorar o comportamento das pessoas e os resultados das campanhas, é mais fácil pensar no médio e longo prazo.

Na prática, as métricas são importantes também no marketing offline, como vimos acima, e mesmo noutras frentes da empresa, como vendas e demais setores. Contudo, no caso do marketing digital tudo isso é realmente indispensável.

Sobre os tipos de monitoramento existentes

Já ficou claro que o monitoramento deve consistir, em última análise, numa tomada de decisão sobre continuar ou não com o investimento naquela mídia específica. Quanto mais eficiente o teste, mais rápido ele retorna esse tipo de subsídio.

Assim, uma empresa que trabalha com servo motor spindle drive pode estabelecer suas metas e objetivos, traçando planos conforme as plataformas em que vai investir. Depois, o acompanhamento pode ser diário, indicando as melhorias necessárias.

O que não pode passar batido é a importância de uma meta, já que quem não sabe aonde quer chegar não tem como saber, depois, se o resultado foi bom ou não. Além disso, é preciso levar em conta a plataforma ou mídia escolhida.

Hoje as métricas mais comuns podem incluir:

  • Acessos ao site ou blog;
  • Tempo médio de acesso;
  • Taxa de rejeição da página;
  • Visualização de vídeos;
  • Cliques em banners e botões;
  • Curtidas e compartilhamentos;
  • Salvamento de conteúdo;
  • Entre outras métricas.

Claro que, embora dependam do tipo de campanha e da plataforma em que cada marca opta por investir, há alguns parâmetros que são essenciais e não podem ficar de fora. Como no caso do tráfego do site institucional.

Uma empresa de chapa aço galvanizado, por exemplo, tem nessas plataformas o seu cartão de visita. Também é por ali que a comunicação e até as demais estratégias de segmentação começam.

Afinal, mensurar o tráfego é o que vai dizer qual a origem dos seus acessos. Talvez sejam os motores de busca, ou o e-mail marketing, ou mesmo as redes sociais. De qualquer modo, saber isso é um tesouro, pois vai conduzir as estratégias futuras.

O que um blog diz sobre minha estratégia?

O blog é, em vários sentidos, uma excelente medida para saber qual a saúde das suas estratégias de marketing digital e de monitoramento. Ali é possível compreender o que é um calendário editorial e a importância do tráfego e da interação.

Se um site que lida com resistência para estufa não consegue ter controle sobre os números no seu próprio blog, é pouco provável que ele vá conseguir dominar as redes sociais e os motores de busca, que são algo como um “terreno alugado”.

Ou seja, primeiro é preciso dominar o monitoramento “em casa”, e depois nas plataformas cuja principal função é gerar tráfego e vender isso para você. Além disso, também é ali que se aprende algo fundamental: a função pragmática das métricas.

Se obter um monte de números sem saber o que fazer com eles é terrível, por falta de objetivos e horizonte (como explicado acima), é igualmente negativo ter todos os dados do mundo devidamente organizados, porém sem nenhum resultado prático.

Ou seja, a função do marketing digital é trazer resultados concretos. É verdade que eles não precisam ser uma venda necessariamente, já que uma campanha pode focar na captação de leads, no download de um e-book, no compartilhamento de uma promoção.

Contudo, é preciso que você domine os percentuais de investimento e de retorno. Se você fez uma baita promoção de óleo hidráulico preço para vender muito mais, as vendas aumentaram realmente? Em quantos porcento? Valeu o investimento?

Adiante aprofundaremos nessas métricas, mas é preciso ficar claro como um blog pode ajudar nisso que merece ser chamado de “cultura do monitoramento”. Ou seja, esse método precisa fazer parte constituinte da organização da empresa.

Por dentro dos principais índices do mercado

Acima vimos como é importante mensurar o índice de conversão, seja no aumento das vendas ou simplesmente das cotações e qualquer outra ação predeterminada. Na verdade, esse índice é em si mesmo uma métrica, ou mesmo a principal de todas.

Ainda assim, existem outras que podem ajudar e muito. Uma delas é o ROI, que demonstra quanto uma empresa de correia transportadora obteve, em suas ações de marketing e divulgação, em termos de Retorno Sobre o Investimento.

Basta comparar o total faturado em função daquela campanha, com o total investido. Outro índice igualmente valioso é o de CAC, abreviação para Custo de Aquisição por Cliente, que pode ser considerado até mais específico do que o ROI.

No caso dele é preciso ter em conta o total investido, mas não a receita que retornou senão a quantidade de clientes. Assim, se você investe mil reais numa campanha que redunda em dez novos clientes, seu custo de aquisição por cliente é de cem reais.

Com o advento do marketing digital surgiu uma sigla parecida: a de CPL, que é o Custo por Lead. Assim, é possível mensurar quantas oportunidades ou contatos (telefone/e-mail) um artigo sobre correia em v preço gerou para a empresa.

Com isso, vemos como a cultura do monitoramento abre um panorama bem mais completo a respeito das ações de marketing e divulgação empreendidas por uma marca. Seguindo nossas dicas a risca, é possível atingir resultados cada vez mais sólidos.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.